terça-feira, 29 de novembro de 2011

Little Ball of Papper
Tão distantes do mundo
Seus sonhos invadem o amor
Tão próxima da solidão
Sua tristeza convida a dor
Pra morar em seus pensamentos
Dilacerar cada um de seus momentos
Isso se torna um vicio
Um auto/ delito qualquer
Em pé à beira do precipício
Esperando o próximo passo
Venha ele de onde vier
Da trajetória perdida de uma alma
Que quer alçar vôos mais altos
Mas na piedade das noites em frio
Tem medo dos grandes saltos
E se entrega ao triste calafrio
Não sabe que a distancia do bem e do mal
Do principio e do fim
Tem a duração de um segundo fatal
Como a chegada de uma bolinha de papel
Arremessada de você para mim.

By Everson Russo
evrediçõesmusicais©®
Direitos autorais reservados lei 9.610 de 19/02/98
Visite também:
O Ultimo Barco do Planeta
A Tempestade

O Livro dos Dias Poesias
Adquira no email: evr.russo@uol.com.br

37 comentários:

Thomas Albuquerque disse...

Até em papel amassado e jogado a poesia pode ser bem aproveitada.


boa semana.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Gostei da bolinha de papel, lembra tempos de escola, a gente jogava na menina, a menina jogava na gente. É isso aí, amigo,tirando poesia até em bolinhas de papel. Claro, porque ela está em todo lugar. Um abraço e bela semana.

Cidinha disse...

Bom dia querido amigo...è admirável sua sensibilidade e encanto com seus belos versos. Adoro sempre lêlo! Lindo dia com muito amor no seu coração!Que saudade ouvir Renato! Bjos e bjos e obrigada.

Luís Coelho disse...

Complexidade entre os pólos do amor.

Salta papel...
Salta faísca...

Sobra amor?

Machado de Carlos disse...

Estive ausente por uns dias, mas estamos de volta para curtir o grande amigo!
Um abraço!

Machado de Carlos disse...

Estive ausente por uns dias, mas estamos de volta para curtir o grande amigo!
Um abraço!

LUZ disse...

Bom dia Everson,

Se deixamos de sonhar, se entramos nesse vício, dexamos, também de amar.
Poesia um pouco reflexiva.

Beijos de luz.

PS: Agradeço seus comentários diários.

✿ chica disse...

Adorei!!!Muito inspirado! abração,chica

lita duarte disse...

Bom dia!

Boa semana.

Bjos.

Rô... disse...

oi meu amigo,

fez um bela reciclagem,
aproveitando o papel desprezado,
tornando-o poesia...
lindas letras,
lindas palavras,
você é incrível...

beijinhos

ॐ Shirley ॐ disse...

Que lindo poema, querido amigo, mas, não devemos ter medo de alçar vôos mais altos. Um beijo, Éverson!

Assis Freitas disse...

segundos fatais, infinitos

abraço

Bandys disse...

Triste e lindo essa bolinha de papel igual o que fiquei de analisar....rsssmas ta aprovado.

Aqui sem praia. Chuvinha.

Beijos

Vivian disse...

Bom dia,Everson!!

Bela poesia meu amigo!!A poesia está em tudo, em cada instante, de leveza ou de dor.Que possamos "arremessar" sempre muito amor!
Beijos!!!
Tudo de bom!!

Ivana disse...

Muito bem construído seus versos e a imagem intensificou esse forte poema. Um dia cheio de paz pra você. Um abraço!

。♥ Smareis ♥。 disse...

Muito bonitos esses versos,As vezes os próximos passos sempre é o mais difícil, mas os sonhos depende desses vôos mais altos. Beijos grande e ótimo dia amigo poeta.

Dja disse...

Bom dia querido

Lindaaaa e triste ao mesmo tempo.


Beijos.

Machado de Carlos disse...

Bom Dia, Amigo!

Tudo de bom!

Anne Lieri disse...

Numa pequena brincadeira de criança,um amoroso significado!Linda sua poesia,Everson!bjs,

C@urosa disse...

Meu poeta amigo Everson Russo, e a sensibilidade nas coisas simples do dia-a-dia, a poesia de qualidade. Parabéns.

forte abraço

c@urosa

Tais disse...

Ola amigo
Muito belo.
Boa Tarde para vc.
decorehouse

Paula Barros disse...

Meu querido, sei que estou sumida, mas nunca lhe esqueço.

Sonhos e amor, se conjugam, mesmo quando vira pesadelo, um dia foi sonho.

beijo

edumanes disse...

Melhor afastar a dor,
Do amor se aproximar
No jardim colher uma flor
Para oferecer a quem amar!

Poema lindo de encantar
Este em verso escrito
Melhor não poderia estar
Verdadeiro, mito!

Desejo uma feliz tarde para você,
um abraço
Eduardo.

Eloah disse...

Lindo amigo! Fizestes poesia até para medir a distância com uma simples bola de papel.
Gostei.A beleza está na sutileza e na simplicidade.
Belos dias.bjs Eloah

Vera Lúcia disse...

Olá amigo poeta,
Gostei da criatividade com a "little ball of papper".
No amor não se pode ter medo de alçar altos vôos.
Muito lindo!
Bjs.

MARILENE disse...

Essa distância é mesmo insignificante. Pode nem ser percebida. Um limite indefinível.

Bjs.

Bandys disse...

Em homenagem ao Cazuza, ao Flamengo e alguns poetas mudei minha fotinha.

kkkkkkk.

beijos

Sherazade disse...

Simplesmente lindo! Sentido, delicado...
Beijos

Van disse...

Lindo poema!

Beijinho Everson

Daniel Costa disse...

Everson

Para além de tudo, toda a solidão, sofrimento, ou dor, o poeta acaba sempre ser positivo, escrevendo poesia.
Abraços fraternos

ValeriaC disse...

Belíssima inspiração querido Poeta...
Boa noite, beijos
Valéria

Carla Fernanda disse...

O medo de voar faz a noite chegar para nos amedronntar.
Bjs

Rosemildo Sales Furtado disse...

Oi Everson! belo poema, com ênfase para o trecho abaixo:

Tão distantes do mundo
Seus sonhos invadem o amor
Tão próxima da solidão
Sua tristeza convida a dor

Abraços e fiques com DEUS.

Furtado.

Flor de Lótus disse...

Oi,Everson!
Versos tão lindos,ma tão tristes,mas é difícil conseguir alçar voo depois que sofremos tanto,mas não podemos deixar o medo nos paralizar.
Beijosss

Pena disse...

Brilhante e Sensível Poeta Amigo Extraordinário:
A vida é mesmo assim. Retrata com beleza e é de maravilhar o seu poema mágico e gigantesco.
Parabéns.
Espero que entenda a minha ausência que perdoará.
Abraço amigo de respeito pelo seu talento sublime.
Sempre a admirá-lo

pena

Fabuloso, poeta!

Pena disse...

Brilhante e Sensível Poeta Amigo Extraordinário:
A vida é mesmo assim. Retrata com beleza e é de maravilhar o seu poema mágico e gigantesco.
Parabéns.
Espero que entenda a minha ausência que perdoará.
Abraço amigo de respeito pelo seu talento sublime.
Sempre a admirá-lo

pena

Fabuloso, poeta!

Severa Cabral(escritora) disse...

Boa tarde meu Príncipe das letras!
Quantas vezes minhas poesias foram criadas nos papeis amassados encontrados em algum lugar...
Poema lindo !
Bjs

 
Web Analytics