quarta-feira, 17 de junho de 2009

No Sereno da Madrugada
Ali deitada em seu sono leve
Perdida nos sentimentos de amor
Caída sobre um gramado
Em uma historia de dor
Tão longe no infinito
O céu suporta seu grito
Que só pela manhã reluz
E pelo horizonte conduz
Sobre os seus olhos inchados
De tanto chorar por nada
Escorre pelo seu rosto
O frio sereno da madrugada
E como uma folha perdida
No inverno intenso do coração
Ela desesperadamente procura
Um raio de sol do verão
Sofrida perdida e arrastada
Pelos ventos que devastam a paixão
Já não acredita mais
Que encontrará o caminho ou a solução
Para o amor que se foi
E deixou um vazio enorme
E uma infinita solidão.

By Everson Russo
evrediçõesmusicais®
Direitos autorais reservados lei 9.610 de 19/02/98
Visite também:
O Ultimo Barco do Planeta
A Tempestade

13 comentários:

Majoli disse...

Parece que você falou de mim nessa poesia...
Beijos meu querido amigo...tenha uma linda quart-feira.

DE VEZ EM QDO VENHO AQUI disse...

depois do frio vem o sol, depois da dor vem a calmaria,mas precisamos nos reerguer...não esperar, apenas...
lindo seu poema!!
tenha uma quarta maravilhosa!!
bj na sua alma,poeta q adorooo!!!

Avassaladora disse...

Everson, podemos fazer rima com a dor... Não é tão bonita, mas tentamos...

E como se faz rima para um amigo querido, que a gente corre paro o colo dele, quando se sente desamparada?

Querido, só carencia e solidão...
Beijos!

Carissa disse...

Bom dia!!!
que Deus ilumine essa quarta-feira.

Lindo esse seu poema.
beijos!!

Bandys disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ariana disse...

A solidão é sempre triste, ela se alia a lágrimas, a desconforto, a desprazer...
Que tal um pouquinho de sol que hj está fazendo aqui pra aquecer a alma e tornar o coração quente, nem que seja de amigos...

Beijos e boa quinta pra ti.

Bandys disse...

Everson,
Viver é bom
Nas curvas da estrada
Solidão, que nada
Viver é bom
Partida e chegada
Solidão, que nada

Nós nunca estamos sós, até porque eu tenho certeza que voce ja deve ter lido Pegadas na areia milhões de vezes!

Nossaaaa belo poema mas, esse ano estamos discordando mesmo!!
Beijos meu amigo do ♥
Uma quarta pra ti sem solidão

**£ú® disse...

Obrigada pela visita moço poeta...eu ainda estou meio perdida neste BLOG... tão acostumada com o meu FOTOBLOG UOL não dou conta de tanta informação nova...prometo estudar bem as lições e vir aqui mais vezes... rs...
Bom final de tarde prá vc...

Bj

Ps.: no UOL meu endereço é: http:/lucia.rc2.nafoto.net

**£ú® disse...

Ops... http://lucia.rc2.nafoto.net

LadyM disse...

Profundo teu texto. Gostei do teu blog...Kiss for you

Blue disse...

Caro poeta.
Nossa amiga Avassaladora sugeriu fazer rima com a dor, a Ariana escreveu em aquecer-se com o sol.
Na verdade, no vazio deixado pelo amor, só encontramos mesmo um enorme buraco chamado solidão.
Pô caramba, será que nós homens sofremos mais com este sereno da madrugada?

Abraços. E com certeza, pintaremos o céu da América de azul novamente....

Princesa disse...

A sabedoria com as coisas da vida não consiste, ao que me parece, em saber o que é preciso fazer, mas em saber o que é preciso fazer antes e o que fazer depois. (Léon Tolstoi)

Um beijo

paula barros disse...

Um poema que fala por muitos corações que andam se sentindo só.

Você tem esse dom, de falar através, por e para os corações.

abraços com carinho.

 
Web Analytics