quinta-feira, 28 de maio de 2009

Da Lua Ao Amor
Em dimensões inexplicáveis
Em galáxias sem dor
Eu descobria aos poucos
A simplicidade da flor
Que ali num canto sozinha
Perfumava a mão que a tocava
Desmanchando sua cor
O coração tocava a alma
Numa poesia de tamanho infinito
No peito a esperança
Que por muito tempo sufocou o grito
Depois de suportar a solidão
Desumana e sem valor
Num salto ao precipício
Caiu da lua ao amor.

By Everson Russo
evrediçõesmusicais®
Direitos autorais reservados lei 9.610 de 19/02/98
Visite também:
O Ultimo Barco do Planeta
A Tempestade

6 comentários:

Blue disse...

Esperança.
Amor.
Luar.
Flor.
Solidão.
Tudo isso, sufoca meu grito!

Abraços amigo poeta. E parabéns.
Estamos começando a pintar a América de azul...

Bandys disse...

---.•:*¨`*:•....•:*¨`*:•.- Pouca coisa é
--:*: ........................:*:- necessária para
--*: .........................:* - alegrar o dia.
---•' ....................... •* - Basta ter
----*,. ...................,* - amor no coração
------*•, .............,•*- e amigos como
--------*•, ......,•*- VOCÊ!!!
-----------`°♥°´
Beijos meus

Luciana disse...

Oi, Everson, hoje vou agradecer ao seu comentário sobre o meu "Fragmento"... Especialmente hoje, quero agradecer. Gostei muito, e me fez pensar sobre ele.
Olhe:

"Muitas vezes em situações da vida, principalmente as adversas, colocamos as palavras em lugare e horas inoportunas causando maiores conflitos ou piorando situações já nao tao boas, o silencio da reflexão muitas vezes fala mais e com sabedoria...

ADOREI!
Você me faz muito bem!
Obrigada!
Beijo!

Nany C. disse...

Obrigada pela visita e por er linkado o blog!
Seu cantinho é gostoso... gostei do que li e, até aqui, do que vi.

Voltarei mais vezes,ok!?

Bjs.

Nanda Assis disse...

lugar perfeito!!!
seu blog é este lugar.
bjosss...

paula barros disse...

Talvez seja isso, para viver o verdadeiro amor tem que se está na terra, centrado, com os pés aterrados com os verdadeiros sentimentos, para poder ir e levar quem se a ama a lua sempre.


Você sempre consegue fazer a terra e a lua girarem com seus poemas.

beijos

 
Web Analytics