quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

É Só o Vento Lá Fora
Em seu quarto a madrugada
Guardando seus medos do amor
Sons do silêncio das estrelas
Causam-lhe um tremendo calor
Cercada de sonhos
Que batem na janela
Feito gotas de tempestade
Tornando a paisagem mais bela
Folhas se arrancam de galhos
E se arrastam pelo chão
Uma sinfonia sem notas
Um desejo imenso no coração
Ela chega e abre a janela
Deixando o vento entrar
Tocar seu corpo com cuidado
Fazendo sua pele arrepiar
Naquela quase manhã
Ela ainda estava nua
E numa lágrima que cai
Vê a despedida da lua
As luzes vão se apagando
E a claridade tomando conta da rua
E nessa historia ainda triste de amor
Sua janela enquadra
Uma paisagem totalmente fria
Enquanto ela vê o vento carregando
Uma bolinha amassada de papel
Onde provavelmente o poeta escreveu
E jogou fora a sua poesia.

By Everson Russo
evrediçõesmusicais®
Direitos autorais reservados lei 9.610 de 19/02/98
Visite também:
O Ultimo Barco do Planeta
A Tempestade

46 comentários:

Thomas Albuquerque disse...

ela sozinha, esperavao toque do amor que somente o poeta poderia lhe dar..

belas palavras.

boa semana.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Que triste! Acontece. Belo demais******** Amei de Amar*********
Beijos****************
Bom dia Poeta amigo!!!
Renata

Lady disse...

Linda poesia mas triste...
Tenha um maravilhoso dia poeta.
Beijo no coração

Sonhadora disse...

Meu querido amigo
belo poema, mas triste.

beijinhos carinhosos
Sonhadora

SAM disse...

Boa noite, amigo

No poema, a tristeza é bela.


Carinhoso beijo.

paula barros disse...

Se ao abrir a janela, cada vento que nos toca fosse sentido como poemas que os poetas jogam em bolinhas de papel, em suspiros de outras janelas, dos olhares perdidos para a lua...todo dia seríamos banhados de poesias.

abraços e um ótimo dia.

EDUARDO POISL disse...

Passando para desejar uma linda semana.

"Para fazer mudanças não é preciso buscar novas paisagens.
Basta apenas olhar com novos olhos"
(Marcel Proust)

Abraços com carinho

meus instantes e momentos disse...

que bom ler voce...
aproveito para te desejar um otimo dia
Maurizio

direitinho disse...

Foram momentos muito suaves de leitura. Boa poesia, atirada da janela, pela mão dos que a vivem e a constroiem.

sonho disse...

Ela chega e abre a janela
Deixando o vento entrar
Tocar seu corpo com cuidado...lindo demais meu querido:)
Beijo d'anjo em teu lindo coração

Pelos caminhos da vida. disse...

Não devemos nunca nos manter inertes a olhar para o céu à espera de milagres.
Devemos buscar o que desejamos com nossa energia interior renovada a cada manhã através de nossos esforços de todos os dias.

Uma ótima quarta-feira para vc.

beijooo

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

A solidão faz com que perdamos os melhores momentos.
Pena que ela jogou fora...

Beijo e bom dia

Bandys disse...

Everson,

NO PROPLEM!!! Tá maluco?? Voltou a colocar algo na Coca-cola??
Não estou afastada!!! Tenho vindo todos os dias uaiiiiiiiiii, sô!
Talvez tenho passada sem você me ver, rsssssss.
Quando eu abro a janela eu deixo tudo entrar e tudo sair!!

Beijos

Ò EU AQUI TÀ!!!!!!!

Xanele disse...

Nossa incrível o poema
adoreiii...
bjsss Amore

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

O vento que tocou a pele dela é o toque do próprio poeta que de longe emana seus versos. Causou-lhe arrepios porque foram toques de amor.E o vento soprando a bolinha de papel nada mais é que espalhar a poesia .Uma bela poesia. Sensacional.Parabéns.Ótimo dia um abraço

Sandra Botelho disse...

Eu só espero que nesta bolinha amassada,
Não esteja o coração machucado,
Nem fatigado de tanto compor,
Versos para um ingrato amor!

Bjos meus e um dia lindo para você!

Maria Bonfá disse...

que lindo querido.. senti os arrepios das suas palavras.. parabens

lindo dia pra ti..beijão

Francisco Vieira disse...

Bom dia Everson. Um abraco para si

Desnuda disse...

Bom dia, querido amigo. Obrigada pelo carinho...Mas fiquei muito triste com o que me disse sobre o professor. Já te envio o email do Pena, já. Minha conexão anda péssima... Já é o segundo comentário que te envio... Por isso a demora. Beijos de bom dia, amigo.

Desnuda disse...

Agora consegui rsrs

Daniel disse...

Eu não sei se você cria o poema em cima da imagem, ou se procuras a imagem para o poema, o fato é que parece que ela realmente suspira a suavidade de teu amor, percebe-se que ela sente a brisa entrar pela janela...lindo.

BANDEIRAS disse...

Ah não ! não se joga fora rabiscos de um poeta. São relíquias.
O que pode não agradar ao poeta hoje, amanhá será um best-seller.

Bjs amigo

sandra Freitas disse...

As vezes suas personagens sou eu...
engraçado, como agente vai lendo e se vendo nelas. Nós mulheres vistas sob a ótica masculina, porém com muita sensibilidade e verdade. Muito lindo..amei..
Não acho triste, acho cheio de esperança. Afinal levantar e abrir a janela é sinal de expectativa, deixar o vento arrepiar a pele é desejo de amar e ser amada..
bjos meu amigo poeta..

Secreta disse...

A poesia escreve-se também na pele...
Beijito.

ღPaTiღ disse...

Este poema é de uma mistura de sentimentos muito fortes.
A foto da modelo é lindíssima, como todas as outras!
Beijo meu amigo.

Memória de Elefante disse...

A sinfonia do coração do poeta permanecerá para sempre naquele quarto...


Um beijo

Majoli disse...

Fiquei arrepiada ao ler sua poesia, uauuuuuu.

O título dela me fez cantar primeiramente....quero colo...vou fugir de casa...dorme agora...é só o vento lá fora...linda essa melodia.

Beijos meu amigo.

FOTOS-SUSY disse...

OLA EVERSON, MARAVILHOSO POEMA...MAS ESTA UM POCO TRISTE...GOSTEI MUITO...QUE TENHAS UMA FELIZ TARDE AMIGO!!!
BEIJOS COM AMIZADE,


SUSY

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

O desejo de palavras aguça nossos sentidos.

Maravilhosa quarta, querido amigo.

Rebeca


-

Luiz Guilherme disse...

o amor é o toque de todos os sentimentos em um ser sensível.

http://guilg7.blogspot.com/

vlw

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Poeta
Mesmo triste o poema é bonito
Abração

Daniel Costa disse...

Everson

Só o vento lá fora, o chegar da claridade do dia, o desiquilibrio e eis que a que o poema, distraidamente, dá rolinho no papel e sai pela janela fora.
Abraço
Daniel

Artur Gonçalves Dias disse...

evocação da passagem
do vento
"carregando
Uma bolinha amassada de papel"
que nos leva a consciência
para depositá-la no firmamento

Belo poema

Saudações

Luciana Klopper disse...

Vc sempre muito sensual!

xerife Raian disse...

Putzzz…
Q post massa!!! Sempre leio o blog, mas nunca comento =/ nesse post foi inevitável!!!
Muito sensual a imagem e o poema.

Luan Fernando disse...

O medo de amar apenas nos traz solidão.
Beijos
Juliane S. Rocha

rosa-branca disse...

Olá amigo, lindo poema mas triste demais. Beijos

carol sakurá disse...

Quero catar papéis a fim de encontrar as redondilhas do poeta1
Saudades!
Beijos!

Thomas Albuquerque disse...

Everson
Mais um selo no meu blog para ti.

AFRICA EM POESIA disse...

Passei para ler e gostar...

AVE


Ave que voa...
Ave que luta...
Que procura comida...
Que se protege do frio e chuva...
Ave que consegue...
Fazer a sua casa...
Criar os seus filhos...
Alimentá-los...
Protegê-los...
E depois...
Dar-lhes asas...
Ensiná-los a voar...
E começar tudo de novo...
Que bom seria...
Que muitas vezes...
Nós também pudéssemos...
Saber programar..
Para podermos voar...


LILI LARANJO

Juliana Lira disse...

Everson

Que pena que o poeta jogou fora a poesia!Que pena que ela teve que se despedir a da lua, que pena...
QUe pena que o fim existe, que pena que seja TÃO triste...

Mas que bom que existe a poesia, pra fazer de um adeus um poema lindo assim, que nos faz chorar de emoção.

Parabéns

Milhões de beijos

Blue disse...

Poeta Mineiro.... deixemos somente o vento do lado de fora!

Mas, cá pra nós, isso é nome de time de futebol? Será que vem de Patolândia?

Abraços

Elaine Barnes disse...

Ela tinha medo de amar,cercou-se de sonhos que cabiam no seu quarto. Num ímpeto de coragem,abre a janela recebe o dia, despede-se da noite,mas...não abre a porta,quantas bolinhas de papel devem ter passado pela rua,quantos poetas não devem ter chorado palavras enquanto ela olhava tudo dentro do mundo do seu quarto?
Esse poema é lindo,mostra que a "Felicidade não entra em portas fechadas"
Montão de bjos, Pinta vai!

Luciana P. disse...

às vezes é preciso mesmo fazer uma bolinha de papel e jogar fora tudo aquilo que ali está e pegar um papel branco para inventar uma outra que valha a pena, com palavras mais brandas e que rimem melhor.


Beijos!

Descobri o problema. O lap estava encrencado. Já consertei!

Nanda Assis disse...

me arrepiei. sera q vc causa isso so com poemas? rs.

bjosss...

Felina Mulher disse...

"Não esconda tristeza de mim
Todos se afastam quando o mundo está errado
Quando o que temos é um catálogo de erros
Quando precisamos de carinho
Força e cuidado
Este é o livro das flores
Este é o livro do destino
Este é o livro de nossos dias
Este é o dia de nossos amores"

Gostei muito!Smack!!

 
Web Analytics