quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Os Galhos
Os galhos cantavam na minha janela
A trilha sonora dos ventos
Eu ali sentado e pensando nela
Tentando entender meus momentos
Sussurros que ecoam silêncios em madrugadas
Olhares perdidos na escuridão
Seus olhos não me contam historias passadas
De amor não bate mais o coração
O vento carrega as folhas
Soltas pela ação da vida
A vida vem leve como bolhas
De sabão que estouram em despedida
Eu me deito pra poder sonhar
Com aqueles dias em que vivemos
Eu queria em você poder de novo tocar
Mas, alguns desejos, jamais os teremos
O mundo tem fim
O céu não tem
Você dentro de mim
Irá muito além
Eu me levanto e volto à janela
Pra novamente ouvir o vento cantar
Tocar sua guitarra no afinamento das cordas dos galhos
Esperando naquela esquina
O amor pro meu mundo voltar.

By Everson Russo
evrediçõesmusicais®
Direitos autorais reservados lei 9.610 de 19/02/98

Visite também:
O Ultimo Barco do Planeta
A Tempestade

44 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

*A trilha sonora dos ventos*
Que lindo! voei nesta trilha do Amor*************************8888888888888888888888888888888888888888888888888888888888888888888888888888
Com certeza, com tanto Amor, o Amor lhe voltará, querido Poeta!!!
Beijos e bom Hoje*

*Ainda bem acertei o mouse na mosca*

Lady disse...

Tão gostoso ouvir o vento tocar, deixar o pensamento voar para bem longe...
Lindo poeta!!!!
Beijos carinhosos e um dia maravilhoso!

Jacque disse...

Que Lindo Everson.
Tenho que te contar uma coisa... Eu tento entrar no seu Blog, fico um pouco e já aparece uma janelinha de erro falando que não pode exibir a página. Agora tentei três vezes pra vir aqui e conseguir entrar nos comentários.
Queria te convidar pra ver meu vídeo novo, no Blog "Sentimentos". Só estou aprendendo... Quando eu for profi...aí vou querer um Poema seu.

Beso

Léo Santos disse...

Tuas palavras são belas Everton, e nota-se claramente que são de coração! Muito bom!

Um abraço!

Hod disse...

Despertar impulsos tão gemuínos proximos à dias outonais com ventos ainda quentes.

Forte abraço amigo Everson.

Hod.

Nany C. disse...

Ruas de Outono...

Você tem uma suavidade e uma paixão pra escolher textos que nos fazem lembrar de momentos tão profundos que as vezes assusta...rs

Um beijo gostoso no seu coração!
e uma ótima quinta meu amigo!

Daniel Costa disse...

Everson

Do poema pode dizer-se: os galhos do outonais! A porta, por onde entra a esperança, fica sempre aberta, que o Outono é o verso de uma Primavera florida.
Abraço fraterno
Daniel

Sandra Botelho disse...

Pura sintonia...
Ontem quando me deitei, ventava e caia uma chuva fina.
É tão ruim ouvir o vento a chuva se sentir sozinha em um quarto vazio.
Em uma cama sem o calor que quem amamos.
Nem mesmo a canção da natureza não traz paz.
Então chorei e depois dormi.
Bjos querido poeta, lindo poema, belas palavras.

Xanele disse...

Lindo
Sutil
Beijo
Xan

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Tão gostoso ler sobre a saudade, sobre essas sensações...
Mas na verdade, não a quero sentir!
Quero o amor sempre a meu lado!

Beijo!

Pelos caminhos da vida. disse...

Uma flor. Uma fonte.
Um sorriso. Uma vida.
Tudo começa.
É importante começar bem.
Mais importante, continuar bem.
Seja sempre novo cada momento
do seu dia. Para fazer da sua vida
uma dádiva sempre nova.

beijooo.

"re" disse...

Poeta...

Encantas meu coração com tua palavras.
Há dias, em que tudo parece tão negro que uma simples recordação surge como um delírio, tão surreal como se o sol fosse uma ilusão ; uma dessas mentiras que contamos a nós mesmos para espantar os nossos fantasmas...
Que bom seria, poder jogar-te nos caminhos das estrelas, no alto , onde moram os anjos, para que tu nunca mais ficasse sozinho.
Sonhos! Realidade longínqua! Amor e desejo insatisfeitos pela distância.
Quem sabe um dia teu amor encontre a estrada que procuras?
Tu tens sempre esse dom de transformar a tristeza em beleza, mesmo que esteja a viver a maior das dores.

Un beso

Xanele disse...

Um segundo pra te conquistar
Nos outros segundos a gente jamais se separar...
Basta um segundo...

Tá bom eu confesso estava Xeretando em suas coisas...rsrs
melhor estava me deliciando com sua letras e poesias, e não resisti
bastou um segundo p me encantar.

Adoro seu blog
Adoro suas visitas
Beijo meu querido
Xan

Luciana P. disse...

Tomara quele volte... viver sem amor é uma ausência, uma dor que não para nunca. Os poetas sofrem mais dessa falta do que os humanos, seres mortais, mais do que normais, rsrsrs.
A sensibilidade dos poetas nos faz sentir o quanto é importante a emoção de cada dia.

Vento-Sul por aqui... acho que senti um friozinho de repente.


Beijos, poeta, bom dia pra ti.

Olavo disse...

Belas palavras..
Abraços

Maria Bonfá disse...

lindo poema.. como sempre vc raduz de uma forma linda os sentimentos.. adoro te ler.. sou sua fã..lindo dia pra ti querido..beijão

Memória de Elefante disse...

A canção do vento um hino de belos sentimentos em que a voz do amor canta em nossos ouvidos...



Um beijo

Garota Karioka disse...

Dei uma sumindinha, mas estava louca de saudades de vir aqui.
Adoro ler suas postagens, sempre lindas!
Boa quinta-feira!
Beijos, beijos!

Bandys disse...

Amo os ventos nos meus cabelos loiros..

Beijos

um dia de luz

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Um dos poemas de maior ternura que já fez,caro amigo.Tentei destacar alguns trechos, mas fui lendo,lendo e não teve jeito.Não deu para tirar porque ele é um todo em inspiração.Ah, vou acabar citando.."trilha sonora dos ventos",foi demais. Um abração

Impulsiva disse...

AAiiiiii, chega doer em mim ler e reler este poema, me vejo nesta janela, por quantas vezes estive nela...
Lindo, lindo, lindo!

Quanta inspiração!
Seguindo-te sem dúvidas...
Beijos,
Kenia Araújo.

Lou a esquizoffrenica disse...

Lindo como sempre...beijo doce meu amigo

lita duarte disse...

Everson,

"Os galhos cantavam na minha janela"
Que bela melodia!

Já me vi cantando uma música com essa letra belíssima.
Maravilha!

Beijos.

Vilminha disse...

oi meu doce amigo, adorei esta poesia, olhe no domingo fui ao parque e deitei na grama em baixo de uma árvore muito frondosa e a vista que se observava era maravilhosa tanto que pensei porque desenhamos uma arvore só frontal e de pé quando a vista de baixo para cima é muito maravilhosa com o azul do céu de plano de fundo e agora fico imaginando equala bela cista com esta sua poesia que parece uma música aos meus ouvidos. Beijos e uma ótima quinta.

Pena disse...

Notável Poeta Amigo:
Mais uma fantástica "explosão" poética fabulosa do seu sentir que cada dia que passa vai granjeando poder e inércia nos seus admiradores e admiradoras.
"...A vida vem leve como bolhas
De sabão que estouram em despedida
Eu me deito pra poder sonhar
Com aqueles dias em que vivemos
Eu queria em você poder de novo tocar
Mas, alguns desejos, jamais os teremos
O mundo tem fim
O céu não tem
Você dentro de mim
Irá muito além
Eu me levanto e volto à janela
Pra novamente ouvir o vento cantar
Tocar sua guitarra no afinamento das cordas dos galhos
Esperando naquela esquina
O amor pro meu mundo voltar..."

Perfeito. Genial.
De uma beleza e pureza excelentes.
Abraço amigo de um respeito grandioso.
Sempre a lê-lo atentamente.

pena

Bem-Haja, notável Amigo de bem.
É fantástico.
MUITO OBRIGADO pela sua pura amizade, brioso poeta amigo admirável e fabuloso.

Felina Mulher disse...

Sabe Everson, este teu poema me fez lembrar de alguns momentos que vivi e que cheguei a acreditar que eram cobertos de flores...e hj eles me parecem tão vazios.Cada passo que eu dava,era dado com a certeza de não estar só, caminhava na direção de um pôr-do-sol maravilhoso…Mas hoje, vejo que os caminhos que a minha alma traçou foram todos uma ilusão minha ,onde as minhas palavras se perderam sem eco…Foram atalhos de sonho que a realidade transformou em solidão… e como dói a solidão meu amigo.
Um beijo no teu core amore!

Adolfo Payés disse...

Una gusto de ternura es leerte siempre..

Un beso
¨Hermoso cuando la poesía es todo en el sentir.. nace con amor la lectura..¨ Payés

Un abrazo
Saludos fraternos..

Déia disse...

Vento traz ela de volta!!

bj

FOTOS-SUSY disse...

OLA EVERSON, MAGNIFICO POEMA...LINDAS PALAVRAS...ADOREI...QUE TENHAS UM BOM DIA AMIGO!!!
BEIJO SDE AMIZADE,


SUSY

Garota Karioka disse...

Olá,
Tem presentinho pra vc no meu cantinho.
Beijos, beijos!

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

E que todas as janelas tragam o vento doce do amar...

Maravilhosa quinta, querido amigo.

Rebeca


-

Wanderley Elian Lima disse...

Olá poeta
Poema e imagem se completam harmoniosamente.
Grande abraço
Zerooooooooooo
Abração

Mari Amorim disse...

Everso,
tempestades levem a demagogia
ventos soprem o engano barato
brisa adentre apenas trazendo amor!

se puder,visite meu segundo blog

Está acontecendo até o dia 07/03 a BlogagemColetiva,
proposta pelo blog http://fio-de-ariadne.blogspot.com
Meu Oscar Vai Para:
Venha conferir e comentar minha participação no:
http://sempretensoesamorcontos&causos.blogspot.com/
Boas energias
Mari Amorim

Juliana Lira disse...

Lindo caro!Lindo, lindo...

Porque "o mundo tem fim, mas o céu não tem, você dentro de mim irá muito além"

Cada vez mais boba com a maneira que vc encontra pra expressar o que passa pela sua alma!

Milhões de beijos

Beta disse...

Olá querido!
como vai???

Saudades de ti!
bj

Glória Müller disse...

Oi amigo, não gosto de ver vc triste assim, afinal, só não se tem jeito para a morte. Mas muito bonito o que vc escreveu, para variar.
Beijos
Glória

Multiolhares disse...

Assim como os galhos voltaram a florir na primavera no amor também acontece
beijinhos

Mundo dos bruxos disse...

ESPERO Q AS JANELAS SE ABRAM E COM A BRISA O AMOR VENHA ATÉ VC...BJ,SAUDADE DE VC!

SAM disse...

Querido poeta, o seu mundo já é feito de amor e abastece o nosso, diariamente. Obrigada!


* Olha, estava pensando que era só no meu pc... Embora no móvel também aconteça... E fiquei na dúvida... E já estava pensando em enviar-lhe um email, quando vi Jacquie descrevendo o mesmo... Entramos no seu blog...mas para ler a poesia e comentar é preciso várias tentativas...

Beijos, amigo!

Thomas Albuquerque disse...

"todo o sopro que apaga uma chama reacende o que for pra ficar"

Teatro Mágico em "Ana e o Mar"

Blue disse...

O vento,
se não trazer o amor,
trará com certeza,
o perfume e o encanto do seu amor!

Abraços.

Legal. Deste jeito vais acabar amando o Capitão América... rsrsrsr

Elaine Barnes disse...

" O mundo tem fim" E os amores também,viram galhos secos e se vão com o vento. Amigo, tem um filme que assisti ha muito tempo e me lembrei dele agora lendo esse poema lindo e normalmente quando isso acontece,gosto de dizer. O nome do filme é " A lenda do pianista do mar" é bem antigo, acho que deve ter na net.Se puder assista. Obrigada pela força lá no Dancing Days.Vc sempre gentil e atenciosos, embora eu sinta algo de diferente em você já há algum tempo. Montão de bjs

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá amigo! Passando rapidamente para apreciar mais uma de tuas belas criações e te desejar uma ótima noite.

Abraços,

Furtado.

paula barros disse...

Everson, você está demais!

"Os galhos cantavam na minha janela
A trilha sonora dos ventos", desde ontem que essa cena ficou no imaginário.

Belíssimo, emocionante.

beijo

 
Web Analytics